Quem pode se tornar um doador de rim?

Samantha Perlanovx
By Samantha Perlanovx 3 Min Read
3 Min Read
Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes

O Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes é médico formado pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, a UNIRIO, e é mestre e doutor em urologia pela Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP. Além disso, é Ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Urologia -Seccional RJ (2010/11) e co-autor do livro Urologia Minimamente Invasiva.

Desse modo, reunindo larga experiência e conhecimento e, sabendo a importância da doação de órgãos, sobretudo de rim, o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, médico urologista, aborda o tema à nossa redação.

O processo de doação de órgãos é muito importante e, segundo o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, precisa ser mais divulgado e compartilhado, pois é capaz de salvar vidas e oferecer novas oportunidades aos transplantados.

Os rins exercem funções importantes no corpo humano, como filtragem do sangue e eliminação de toxinas. Dessa maneira, distúrbios graves no órgão podem acometer em diversas complicações para o paciente, sendo assim, em casos de doença renal crônica, o transplante renal é indicado, explica o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes.

O transplante do órgão pode ser feito através de doadores vivos ou não. O principal critério é a compatibilidade. O Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes ressalta a importância de recorrer a meios legais de forma rápida para comprovar a ausência de intenções malquistas e tendenciosas, pois configura no delito de tráfico de órgãos.

Sendo assim, no Brasil, quem deseja se tornar um doador de órgãos basta ter um organismo saudável e demonstrar o desejo de ajudar o próximo. É preciso se inscrever em um programa de doadores, ele atestar a compatibilidade e após isso, haverá a confluência e direcionamento ao doador e ao transplantado. O Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes afirma ser de suma importância a doação de órgãos, pois é uma forma de envolver a qualidade de vida e a vida, propriamente dita, ao paciente. Sendo assim, aborda o tema com entusiasmo e energia a fim de promover a discussão e a divulgação da importância do transplante de órgãos.

Share This Article
2 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *